18 de set de 2013

Tudo isso é um pouco triste.


Tudo isso é um pouco triste.
 Pouco não, muito triste. O fim do amor, sabe. O fim de tudo. Só que uma hora a gente tem que seguir, querendo ou não. Só que ai você olha para os lados e se pergunta“Seguir pra onde?” Porque antes você tinha alguém como morada, e agora passa a enxergar nada. É nesse momento que a gente se depara com a tristeza, com a saudade, com os pensamentos negativos e a vontade de fazer coisas que você jamais pensou em fazer… Tudo para esquecer a dor, o amor, ou o que for. Antes você só bebia ocasionalmente e agora se vê bebendo assistindo a desenhos animados. Antes você nem assistia TV direito, e hoje se pega vendo novelas e chorando por causa de uma simples propaganda. Antes você saia com os amigos porque achava legal, hoje você sai com os amigos pra poder não se perder. Você evita de pegar o celular pra não fazer merda, você para de escrever pra vê se para de sentir, você acha tudo tão sem graça, tão sem cor, tão sem sal… E percebe que sua vida é nada mais e nada menos do que uma solidão. É, amar faz isso. Melhor dizendo, o fim do amor causa isso. E você até chega a pensar que o efeito final de um êxtase não é tão ruim assim quanto a sua vida. Só que a gente tem que seguir, por mais difícil e complicado que seja. É o fim do amor, e não da vida. É difícil sim, eu sei, você sabe, o mundo todo sabe. E daí? Que problemas mesquinhos que você fica ai reclamando, enquanto mais da metade da população enfrenta a fome, o frio, as guerras, e todos os outros caos. Só que nessas horas você não tá nem ai pro mundo, porque sabe que o mundo tá pouco se fodendo pra você. O fim do amor nos torna egoístas também. Problemas fúteis a enfrentar, eu sei, você sabe, o mundo sabe… Só que as únicas pessoas que sabem o quanto dói, são aquelas que já passaram por isso. O fim do amor é trágico, mas não deixe isso virar uma tragédia na sua vida.
JULLYMOLINNA.COM · · Todos os direitos reservados © 2014 · Tecnologia Blogger