6 de fev de 2014

Adeus..



É sempre muito difícil ser forte o bastante quando o assunto é "morte". É porque, por mais que sabemos que devemos ficar bem e que um dia, querendo ou não, iremos superar, vem aquela voz insuportável esfregando no teu "eu" que aquele alguém nunca mais vai voltar.. Ninguém sabe exatamente pra onde foi ou vai, o fato é que por amarmos demais "esse alguém" desejaremos o melhor lugar possível.. Sempre. Hoje está sendo muito difícil fazer esse post. Não sei se é devido a ausência das patinhas dele na tela, sempre tentando "chamar atenção" ou a certeza de que ele se foi... É muito clichê falar isso, é clichê demais, chorar pela morte de um cachorro, de um gato.. de um animal. Eles não falam, não retrucam, mas serão sempre nossos melhores amigos. Acho que só quem tem bichinhos de estimação vai me entender de fato. E ainda me lembro do primeiro dia quando eu ganhei ele. Era ainda um brotinho de gente, passava pela greta da porta da cozinha, não tinha um lugar da casa aonde não tinha xixi. Depois ele foi crescendo e aprendendo aonde deveria fazer as suas necessidades, e foi ai que fez da piscina o seu banheiro hahaha. Ele tinha umas maninhas estranhas, como "fazer uma maratona mundial antes de fazer coco" hahahahahaha, e a gente só conseguia observar sorrindo.. Bastava abrir o portão pra ele vir pulando balançando o rabinho (era uma das armas mas irresistíveis que ele tinha) não vou ressaltar aquele olhar de "peixe morto" quando ele não conseguia o que queria.. E eu odeio definitivamente com todas as palavras, estar escrevendo esse texto todo no passado. Os anos se passaram e tudo começou a mudar. Ele já não tinha a disposição de ficar pulando na minha cama, pra me dar bom dia aos domingos, nem físico pra correr na hora de suas necessidades rs :( 



             É estranho... Ao envelhecer, parece que ele voltou a ser criança novamente. Veio a vontade absurda de só ficar de repouso, a necessidade de comer deitado ( tudo bem que ele sempre fazia isso, mesmo na época de garotão hahaha) ele já não levantava mais pra receber carinho, beijos, mimos... Emagreceu, ficou praticamente irreconhecível, tanto que, quando chegava visitas aqui em casa só se escutava a frase " É Logan, quem te viu, quem te ver" e isso se deu devido a empolgação em que ele recebia quem estava no portão haahah. #Bonstempos. Já não queria comer. Recusava leite, carne, batata (quando escrevo isso, nem parece que estou me referindo a ele...) Enfim, vivi a metade de uma vida com ele, vi crescendo, ganhando ovos de páscoas,  fazendo xixi todos os dias no meu puf do lado direito da cama, vi ele pulando na piscina, enterrando comida, latindo pros mosquitos e pro prórpio rabo rsrs... E tudo isso virou lembrança. Hoje acordei cedo e vi ele morto. E só de pensar que faltava 2 dias pro aniversário dele! Eu já sabia que ele iria morrer, e estava realmente aceitando isso. Mas quando a gente perde mesmo, é que a ficha cai. Meus pais choraram igual duas crianças quando deixa a chupeta cair no chão. E olha, que sensação horrível!!!... O fato é que ele se foi, e eu precisa de verdade fazer um post especialmente pra ele. Não me perdoaria deixar passar em branco. Muito menos ele hahahahaha.. Quase destruía esse teclado rs. 

É isso aí, devemos mesmo aprender a ser forte, aprender a lidar com a "ausência" de algumas pessoas. Ele não era simplesmente um cachorro, era um amigo, um irmão. Vamos combinar que um irmão bem bagunceiro, mas que apesar de tudo, era o melhor do mundo no que fazia, e que vai fazer muita falta aqui na minha casa. Agora não vou precisar de acordar e lavar a varanda, separar alguns finais de semanas pra dar banho, levar pra cortar unha.. E eu não sei o que é pior, viver sem essas tarefas ou sem ele aqui comigo... 




E mais um vez, chegou a hora de mudar a biografia do blog rs :/

Adeus Logan, eu amo você. 
Postar um comentário
JULLYMOLINNA.COM · · Todos os direitos reservados © 2014 · Tecnologia Blogger